Dicas & Artigos

[Alfarrábio] Ab’Dendriel, a Lothlórien de Tibia #1

alfarrabio.png

Hauopa Tibianos,

Hoje vamos relembrar um pouco da cidade, um tanto quanto esquecida, de Ab”Dendriel. Todos sabem que o Tibia tem um pouco de relação com filmes, livros, música, ou em algo que o Product Manager estiver inspirado.

Agora vamos falar de Ab’Dendriel, como o título diz, é a Lothlórien do Tibia, porque? Ela é extremamente semelhante a cidade criada por Tolkien:

Ab’Dendriel:

Abdren1-e1463859229984.png

Abdren2-e1463859518727.png

ab-4base-Copia-e1463859608365.gif

 Lothlórien:

Lhothrien-1-e1463859865330.jpg

Lhotorien-4-e1463859934940.jpg

Lhotorien-5-e1463859977620.jpg

Percebem a semelhança? Ambas possuem um lindo bosque, ambas são construídas sob as árvores, ambas possuem iluminação parecida, etc.

Ab’Dendriel, uma cidade esplendorosa, suas construções elevadas em meio a um bosque denso e misterioso, sem dúvidas é uma vista magnifica… A história de Ab’Dendriel é ligada diretamente a historia do Tibia, não há como falar de Ab’Dendriel sem falar de Urgith e sua legião dos mortos-vivos, para tanto, irei fazer um breve resumo aos que não conhecem.

Mas antes mesmo de podermos falar sobre Ab’Dendriel, temos que voltar um pouco no tempo e relembrar as obscuras histórias da origem do Tibia, e os primórdios da raça dos Elfos.

Convido-os a conhecer um pouco mais sobre Ab’Dendriel, boa leitura!

____________________________________________

A muito tempo atrás, em um tempo antes do pensamento, não existia nada, nem som, nem ar, não havia água ou terra. Simplesmente um vazio, algo negro em volto de raiva e paz, vida e morte, luz e trevas, tudo era um, e um era tudo.

Não se sabe como, mas deste vazio, duas entidades poderosas se fizeram vivas, elas se auto intitulavam Fardos, o Criador, e Uman Zathroth.

Fardos o Criador, abençoado com a vontade de dar vida a tudo, insaciavelmente tentou criar algo que se fizesse parecido com ele, dotado de conhecimento e força, inteligência e raciocínio, mas o fracasso era seu mais cruel aliado. Por mais que Fardos tentasse não conseguia criar algo que durasse, tudo era consumido e se destruía.

Uman Zathoroth, maravilhado, observava atento toda essa força. Mas ele não era como Fardos, ele tinha dois lados, Uman seu lado sábio e bondoso, e um lado maligno, destruidor de tudo, incapaz de ser bom, um inverso completo de seu outro lado chamado de Zathoroth.

Fardos e Uman unidos tentaram novamente, mesmo com a força de ambos, nada criado durava, tudo era derretido e consumido pelo vazio. Mas, durante uma das diversas tentativas nasceu algo, uma enorme luz se fez presente, algo semelhante a eles, algo tão parecido que não podia ter sido criado.

deuses-criadores-3-e1463860396188.jpg

Uma nova deusa saiu do vácuo como uma sereia recém-nascida de sua concha. Os deuses anciões maravilhados assistiram àquela beleza divina com grande admiração. Pois tudo nela estava em perfeita harmonia. Eles concordaram em chamá-la de Tibiasula.

Uman entendeu que não adiantava ter força, ou poder, se não tivessem em que se concentrar, então imaginaram que tudo que eles estavam fazendo não tinha sentido se eles não pudessem lembrar de como era o passo anterior, então resolveram criar um fluxo, algo que tivesse início e fim, e decidiram dar o nome para isso de Tempo.

Espiral-de-vacuo-e1463860495883.jpg

E quando finalmente uma imensa espiral tomou forma no vácuo, a coluna de cristal do tempo que seria o fundamento de toda criação foi formada.

Zathroth possuía um profundo desprezo sobre Uman e Fardos, que agora estava sendo alimentado por Tibiasula, por ela ter ocupado seu lugar ao lado deles. Mergulhado em ódio, com todo seu poder criou uma adaga brilhante que ofuscava até mesmo a luz. Enquanto eles criavam os Pilares do Tempo, Zathroth rapidamente cravou a lâmina no peito da Tibiasula, do seu sangue brotaram o fogo, água, terra e ar, tudo que compunha seu espirito.

asaga-zarth.png

A lamina que matou Tibiasula

Os outros deuses, em desespero tentaram reviver Tibiasula, tentando conter sua alma para que ela não desaparecesse, já sem escolhas os Deuses Fardos e Uman sussurraram palavras para unir o ainda incompleto Pilar do Templo ao corpo de Tibiasula, em esperança que as linhas de início trouxessem à vida de volta ao corpo de Tibiasula, Zathroth por sua vez, sentia profunda emoção e gritava em trinfo sob o olhar dos outros deuses, sentindo-se completamente vitorioso.

Os deuses não conseguiram revive-la, e caíram em profunda lamentação pois não conseguiram juntar os componentes de sua alma em seu corpo. Então os Deuses entenderam, que para se dar vida a algo, primeiro deveria ter que sacrificar algo de igual valor, podia-se dizer que isso era uma troca equivalente.

A vida de uma Deusa, para dar uma nova chance a criação, um globo cheio de vida, em primeira vista, mas parecia com um sino, em perfeito equilíbrio, em perfeita harmonia.

Decidiram então dar o nome de Tibia em homenagem a deusa que deu sua vida pela criação, um globo repleto de vida, mas parecia um sino, um perfeito equilibro, em perfeita harmonia.

O sangue de Tibiasula deu vida ao globo, mas sua gentileza não acompanhou o processo e todos os elementos tinham um impulso selvagem.

Terra que com sua força gerou as montanhas e planícies, água gerou os oceanos, que queriam a todo custo tomar o lugar da terra, causando inundações. Fogo, com sua fúria, movia as bases da terra, explodindo e querendo tomar seu lugar, saindo das entranhas do globo. Ar banhou todas as planícies formando o vento, que com sua força movia os oceanos, fazendo a maré e secando o fogo, que a todo custo queria tomar o lugar da terra. Todos tentando ser mais forte que o outro elemento.

Pensando no que havia acontecido os deuses Uman e Fardos fizeram o mesmo que Tibiasula, deram suas existências para o bem da criação, unindo-se aos elementos criados pelo sangue de Tibiasula.

Fardos uniu-se ao fogo, o qual originou 2 outros seres, que ele chamou de filhos. Fafnar sendo do aspecto feminino e Suon carregando a forma masculina. Ambos preservaram a força de seu elemento, e sentindo sua superioridade como uma herança, ergueram-se aos céus para demonstrar sua superioridade, iluminando todo o globo e dando origem então a dois sois.

Deusa-do-Fogo-e1463861437160.jpg

Fafnar, a senhora do fogo

Suon era calmo e possuía o desejo de iluminar todo o globo e a criação. Sua irmã em contrapartida carregava consigo uma fúria implacável, utilizava o fogo presente em sua alma para entorpecer de calor todo o globo. Suon não admita tal atitude, e diante do fato obrigou sua irmã através da força a parar com essa loucura contra a criação. Fafnar procurou abrigo no berço de sua criação, no fogo vivo do centro do globo, onde seu elemento mãe vivia.

Cria%C3%A7%C3%A3o-1-e1463860718414.jpg

Fafnar com sua irá queimava todo o globo, e prejudicando a criação.

Uman por sua vez, uniu-se com a Terra, gerando um filho Crunor, Senhor das Arvores. Crunor cheio de vitalidade, cobriu o globo com árvores, fazendo um manto para toda a criação, tornando-se assim o criador de todas as coisas vivas.

Fardos uniu-se novamente com o Ar, gerando o Nornur, senhor do destino, dono e possuidor do clima, vento, nuvens e o céu. Por vezes ajudava a criação de seu primo a tomar vida, banhando as árvores com uma doce brisa.

Uman, por fim, uniu-se com o mar, originando Bastesh, a Soberana dos Mares. Bastesh era incrivelmente semelhante com Tibiasula, a grande Deusa.

bastesh.jpg

Bastesh, a senhora dos oceanos e mares.

Fafnar invejava a beleza de Bastesh, com a fúria do fogo, cravou flamas tórridas no delicado corpo da rainha das águas. Mutilando permanentemente seu corpo.

Quase que instantaneamente os deuses criadores impedirão que Bastesh morresse. Criando uma calda para impedir que seu corpo sangrasse até sua morte.

Suon inconformado com a maldade de sua irmã, Fafnar, decidiu puni-la e daquele dia em diante condenou-a a cruzar todo globo, dia após dia, sem descanso. E para garantir que ela não desobedecesse, à seguiu.

Bastesh, foi salva, mas sua beleza nunca foi a mesma, não conseguindo lidar com a maldade que fizeram consigo, refugiou-se no oceano, por vezes, seu choro pode ser ouvido por todos, como uma triste melodia vinda dos oceanos, a cada onda.

Como senhora dos mares, fez sua parte pela criação, preencheu todo o mar, com criaturas marinhas, belas e magnificas, como ela devia ter sido.

____________________________________________

Estão ansiosos para a Parte 2? Fiquem ligados, sairá em breve.

Tags: ,

Categorias: ,

Gostou deste post?

Sobre Fanilator

Fanilator é Repórter do Portal Tibia. Tenho personagens em Pacera, Secura e Calmera. Meus Hobbies preferidos são: Leitura e Carpintaria.

Ver todos os posts de Fanilator →

Posts Relacionados

4 Comentários

  1. Fanilator Autor Equipe-

    Bruno, obrigado pelo comentário, fico feliz que gostou, sim, fiquei, sairiá em breve.

  2. Thiago Garuzi -

    Texto excelente. Nunca tinha lido o gênesis do tibia.
    Obrigado pela história, aguardo a parte 2.

Comentários estão fechados.