[Artigo Oficial] Diário de um Carteiro!


Querido diário,
Hoje é a primeira vez que escrevo. E, para ser honesto, nunca pensei que começaria a escrever um diário mas, de alguma maneira, sinto que preciso compartilhar minha história com alguém, mesmo que esse alguém seja um livro.

Entre para o Correio Tibiano, você fará muitos amigos, conhecerá lugares fantásticos por todo o mundo eles disseram… Bem, deixe-me começar do começo:

Nascido como sétimo filho de um velho pescador, eu tinha apenas algumas opções para mudar minha vida para melhor. Eu definitivamente não queria seguir os passos de meu pai, ainda mais porque todos os meus irmãos tinham mantido esta tradição.
Eu era muito fraco, desistia fácil e um tanto desajeitado para aprender esgrima ou qualquer tipo de luta. Estava fora de cogitação tornar-me um Paladin ou um Knight. Sem mencionar que não sou muito corajoso. Além disso, ainda sou péssimo com contas. Seria impossível ser um comerciante. Que tal ensinamentos ancestrais e me tornar um Sorcerer ou Druid? É claro que eu honro os antigos deuses e admiro a natureza com todo seu esplendor mas até um peixe seria um mago melhor do que eu.

Assim, pela minha minha falta de talento, resolvi sair da casa dos meus pais e comecei a viajar. Eu estava convencido de que, se procurasse o bastante encontraria o trabalho certo. Estava viajando de Thais para Kazordoon quando passei por um edifício que despertou meu interesse. Curioso, parei e dei uma olhada. Era a Sede do Correio Tibiano e, como eu não tinha nada melhor para fazer, entrei e comecei uma conversa com um homem que se apresentou como Kevin, o chefe dos correios.

Kevin: “Somos uma organização poderosa que é uma parte vital da sociedade Tibiana. É uma honra e um privilégio ser um membro. Nosso padrão é rigoroso e, para ser promovido, é muito difícil, mas gratificante. Porque pergunta? Está interessado ser um de nós?”

Bem, eu pensei, sim, porque não? Não tinha nada a perder, então eu respondi-lhe que eu ficaria feliz em ser um membro dos correios. Como esperado, era mais fácil dizer do que fazer. Eu tinha que provar o meu valor fazendo algumas missões. Kevin me pediu para verificar certas rotas para ver se há algum problema que exigia viagens por tapetes e navios. Não pode ser tão difícil, eu pensei. Bem, quem imaginaria que eu, filho de um pescador, sofreria de vertigens e enjoos… mas não importa! Depois que eu tinha voltado para Kevin e lhe disse que eu tinha verificado todas as rotas, ele já tinha uma outra missão:

Kevin: “Uma das nossas caixas de correio foi relatada como emperrada. Ela está localizada na chamada “montanha” na ilha Folda. Pegue um pé de cabra e vá concerta-la. Nos informe assim que a tiver concertado.”

Peguei meu o pé de cabra e viajei para a fria ilha com a missão de reparar a caixa de correio. Medroso como sou, teria pedido demissão se soubesse que Frost Trolls e Winter Wolves me esperariam por lá. Já que não tinha mais volta, concertei a caixa e informei ao Kevin.

Kevin: “Escute…Estamos tendo problemas sérios com cães agressivos. Juntamos alguns ossos para acalma-los mas não são o suficiente. Preciso que você colete mais 20 ossos como aquele que está no quarto a esquerda e os traga aqui.”

Ossos para cães? Quero dizer, honestamente, cães atacando carteiros? Isso é tão clichê. De qualquer forma, Kevin é o chefe. Sofri para coletar esses vinte ossos, mas eu consegui. Não me pergunte como. Me sinto bem orgulhoso de ter completado essa missão. Kevin me contou que ele também estava orgulhoso e que, de agora em diante, eu seria um membro do correio.

Eu estava muito animado, e fiquei ainda mais depois que ele disse que eu receberia uma recompensa… mas, como acontece muitas vezes na vida as expectativas eram altas demais… para encurtar uma longa história, hoje me orgulho de ser dono de um chapéu de carteiro…

Bem, vamos em frente. A próxima tarefa não tinha nada para falar. Eu só tinha que entregar um presente em Fibula, mas a missão seguinte… outra viagem pelo mundo… A guilda dos carteiros estavam precisando de um novo conjunto de uniformes. Portanto, Kevin me enviou para Venore para negociar um contrato com um cara chamado Hugo. Mais uma vez, fui confrontado com o pesadelo de cada carteiro… cães. Hugo afirmou que seu cão tinha comido o padrão de vestido e que ele precisaria de um novo. Em outras palavras, eu tinha que fazer o novo. Fácil como torta pensei: é só pedir para Kevin um novo padrão de vestido e o problema deve ser resolvido.

Infelizmente, errar não é só humano, mas carteiro também. Kevin não tinha uma cópia do padrão de vestido. Assim, eu tive que viajar para Kazordoon para discutir com um velho e surdo Technomancer. Depois que eu finalmente consegui o meu pedido, ele prometeu enviar uma cópia do padrão de vestido para Kevin. No entanto, isso não foi suficiente! Agora, Kevin queria que eu visitasse a Rainha de Carlin para pedir-lhe a coloração perfeita para os uniformes. Não me interpretem mal, eu não sou antiquado e eu sou a favor da emancipação, mas senti um pouco de mal-estar na cidade governada por mulheres. No entanto, eu consegui o que eu vim pedir. Mais uma vez, voltei para Kevin:

Kevin: “A próxima parte é complicada. Precisamos que os uniformes emanem algum odor que os cães odeiem. O cão com o “melhor” gosto nessa área é o Noodles, o cão do rei Tibianus. Você entendeu até agora? Boa. Vá até lá e descubra qual gosto ele mais odeia: queijo mofado, um pedaço de pele suja ou uma casca de banana. Diga a ele para cheirar, então mostre-lhe o objeto e pergunte “você gosta disso?”. NÃO deixe que os guardas vejam o que você está fazendo.”

Cães… o que mais. Eu vou poupar os detalhes. Uma vez que eu tinha terminado essa parte, Kevin me enviou ao Hugo novamente para encomendar os novos uniformes… para não falar que encomendar os uniformes terminou em insultos, mas pelo menos a viagem pelo mundo acabou e eu tenho a minha recompensa:

Kevin: “De agora em diante deve-se saber que você é um grande carteiro. Você agora é um membro privilegiado até o final do dia. A maioria dos capitães de todo o mundo têm um acordo com a nossa aliança e transporta nossos membros privilegiados, como você, por menos ouro.”

Viajar de navio mais barato… Eu mencionei que eu sofro de enjoos? Não se preocupe! A próxima missão estava esperando por mim: Mais uma vez, fui convidado para viajar ao redor do mundo para coletar as medidas de alguns carteiros oficiais. Seja como for, esta tarefa foi fácil comparada com o que ainda estava por vir.
A próxima tarefa era descobrir o paradeiro do mensageiro Waldo. No caso de sua morte, me pediram para trazer de volta seu posthorn. Eu viajei para a montanha a leste de Thais e procurei por ele. Depois de alguns encontros muito agradáveis ​​com trolls e orcs – eu mencionei que eu ainda sou um guerreiro valente? – Infelizmente, tudo o que eu encontrei foi o seu cadáver e sua posthorn. Com mais sorte do que juízo eu levei de volta para Kevin:

Kevin: “Então Waldo está morto? Este é uma notícia grave, de fato. Será que você recuperou o seu posthorn?”

Eu: “Sim.”

Kevin: “Obrigado. Vamos honrar. Sua próxima missão será muito especial. Que bom que você é uma pessoa especial assim. Você está pronto?”

Eu: “Sim.”

Kevin: “Sua vontade é uma virtude, jovem, mas primeiro vamos falar sobre o avanço. Você é digno, de fato. Você quer avançar em nossa aliança?”

Eu: “Sim.”

Kevin: “A partir de agora você é um grande carteiro para operações especiais. Você é um membro honrado da nossa aliança e ganhou o privilégio de ter seu próprio post horn. Aqui, pegue.”

…Eu trouxe o posthorn de um colega morto e o que eu ganho como prêmio… um posthorn… Provavelmente o mesmo que eu tirei das mãos frias e mortas de Waldo. Mas quem se importa! De volta aos negócios. A próxima tarefa era tão ridícula quanto a última. Eu tinha que entregar uma sacola cheia de cartas para o Papai Noel. Agora, se você acha que essa foi a parte estranha da missão, espera a próxima parte.
O saco que eu tinha que entregar pesava 500 oz. Sim, 500 oz! Não me pergunte como eu consegui levar esse saco para a casa do Papai Noel. Reviver as lembranças me deixa maluco… Mas, no final, os deuses sorriram para mim. Acredite em mim, eu estava no final da minha corda quando eu voltei para Kevin para aceitar a próxima missão:
Uma honra. Ninguém mais se voluntariou. Surpresa! Eu teria apostado que os meus colegas faria uma fila para entregar uma carta para Markwin, rei de Mintwallin. Quero dizer, quem não quer que fazer um inferno de viagem apenas para visitar uma cidade subterrânea cheia de minotauros?

Bem, eu não iria escrever esse diário se eu não tivesse conseguido fazer essa missão também.

E aqui estou eu agora, orgulhoso archpostman da Guilda de Carteiros do Tibia. Aqui estou eu agora, viajando de um fim do mundo para o outro fim. Nem furacões, nem pancadas de chuva, nem tempestades do deserto, nem frieza mortal pode me impedir de entregar o correio. Aqui estou eu agora, anunciando os serviços dos correios com slogans como: “Escreva uma carta e se sinta melhor!” ou “Faltando alguém? Uma carta por dia manda o desejo embora!”, “Correio Tibiano! Nós não podemos falhar!”, Minha casa é minha parcel!…

Aqui estou eu agora e pergunto a mim mesmo, dia após dia:
O que meu pai pescador está fazendo agora?…

  • author image
    Victor
    jul 5, 2013 @ 12:20 pm

    Cara, essa história é tão boa quanto a dos potions que saiu há pouco tempo! Parabéns.

  • author image
    Fonseca
    jul 17, 2013 @ 21:39 pm

    Muito boa a historia , ainda bem que temos o portal tibia para traduzir muito obrigado.

Tv Epaminondas

Patrocínio

Curta a nossa página!